Em 10 de Fevereiro de 1957, na cidade de Ourém, no Pará, distante à 150 km da Capital Belém, nascia MANOEL PEREIRA DE FREITAS - quinto de uma família com oito filhos e que mais tarde viria ser, artisticamente, NAEL DI FREITAS, um anagrama do próprio nome.

De origem simples, porém de família agregada ao catolicismo, já aos 11 anos se transferiu para Belém, onde começou uma árdua tarefa de trabalho, na função de cobrador de ônibus, para junto aos demais irmãos colaborar com o sustento familiar. Aos 15 anos assumia essa tarefa integralmente e com um esforço extraordinário atingia o objetivo de construir uma casa para os pais, Sr. Cícero Barroso de Freitas e Sra. Alzira Pereira de Freitas, que também haviam se transferido para a Capital em 1972...

Seu encontro com o mundo da música ocorreu aos 16 anos, ocasião em que entrou para o SAM - Serviços de Atividades Musicais, da Universidade Federal do Pará, onde estudou canto, além da música e formou-se Técnico em Instrumentos -contrabaixo-, iniciando-se assim na música Erudita.

Foi primeiro contrabaixo da orquestra juvenil da Universidade Federal do Pará, chegando também a atuar na Orquestra Profissional.

No ano de 1980, transfere-se para São Paulo, onde tocou dois anos na Orquestra Sinfônica de Americana-SP e teve ainda uma pequena passagem na Orquestra Jovem do teatro Municipal de São Paulo.

Posteriormente, estabeleceu-se em Campinas-SP, onde teve a oportunidade de estudar com o famoso contrabaixista Paulo Pulgliesi, primeiro contrabaixo da Orquestra Sinfônica e professor da UNICAMP daquela cidade.

Dessa sua fase podemos creditar ao seu currículo os seguintes cursos: "Colóquios com Marlos Nobre", "Música Popular e Folclórica", "Regência", "Linguagem Musical", "Evolução da Harmonia", "Contrabaixo", "Canto e Violão Popular", "Cultura Musical", "tendo ainda participado dos III e IV cursos Internacional de Verão de Brasília; participou de vários corais e apresentou-se em palcos de teatros, sala Cecília Meireles, participou dos Concertos para a Juventude da TV E, por três vezes e de gravação na Rede Globo.

Por motivos de saúde, já que o instrumento a que se dedicava exigia muito fisicamente, deixa a música erudita e torna-se microempresário, obtendo grande êxito nessa área. Entretanto, paralelamente com esta nova atividade, o gosto pela música e com a voz que lhe é peculiar, creditada ao DOM DE DEUS, volta seu interesse pela música Popular, buscando suas raízes paraenses. Grava em 1986, aos 29 anos de idade seu primeiro compacto e seu primeiro LP. A partir daí, grava mais quatro discos no mesmo estilo, obtendo sucesso regional.

Surge um novo momento político no país e com ele algumas dificuldades de ordem financeira, principalmente no que tangia ao aspecto empresarial e é nesse momento, em 1992, onde nada acontece por acaso, que lhe é dada a oportunidade de conhecer a Renovação Carismática Católica, levado pelas mãos de seu irmão Jango Lart. Embora de origem católica, de participar de movimentos da igreja, não era um católico comprometido com Deus.

Apesar de ser um freqüentador assíduo dos grupos de oração, só a partir do ano de 1988 começa o verdadeiro comprometimento com o Senhor, entregando-se ao trabalho das Pastorais, da Liturgia, do Ministério da Palavra, procurando ser verdadeiramente um servo de Deus.

Sua evangelização através da música demorou cerca de nove anos para deixar de ser um projeto e ser concretizado. Colocava-se sempre nas mãos de Deus e de Maria, pedindo-lhes que o usassem como um instrumento, conforme fossem as tuas vontades.

Esperando o tempo do Senhor, dizia: "Eis-me aqui, eu não sei o que tu queres, a obra é tua, mas quero ser obediente ao teu querer."

Continuou perseverando na oração, na escuta e obediência ao Senhor, quando, após o tempo dos homens e das dificuldades por eles impostas, surge o primeiro CD dessa sua perene fase de adoração ao Senhor, com o título "MAGNIFICAT".

Após dois anos surge seu segundo CD de evangelização, "A caminhada" e seu primeiro DVD, inspirados ao seu coração pelo Senhor.

E hoje, casado há vinte e um anos com Nilci Irene Dias de Souza, pai de Rafaelle, Raíça e Tuila, NAEL DI FREITAS dedica-se por inteiro a sua tarefa de evangelizar cantando, buscando sempre trazer alegria aos corações por vezes tão deseperançosos.